fbpx
Gestão da ManutençãoSem categoria

Como podemos usar o Plano de Inspeção visando resultados positivos?

By 4 de março de 2021 No Comments

Qual importância de termos um plano de Inspeção?

Quando realizamos inspeções periódicas nos ativos, podemos diagnosticar falhas potenciais.

A inspeção deve ser contemplada no  Plano de Manutenção do ativo.

Levando em consideração que as falhas  podem se apresentar de diversas maneiras e por diversos motivos, termos um plano de inspeção fará com que possamos identificar por exemplo se alguma ação na utilização do equipamento nos levará a uma falha por uso incorreto, ou identificar também uma tendência de falha devido a deterioração, ou fadiga, ou ainda esforço excessivo dentre outros exemplos.

O plano de Inspeção é muito importante para que tenhamos dados e elementos que possam detectar um possível defeito ou sintoma de falhas antes que o modo de falha se apresente.

Nesse sentido, a prática de inspeção sensitiva e a sensitiva instrumentada geram resultados satisfatórios quando bem executadas.

A inspeção sensitiva instrumentada por exemplo possui ótimas ferramentas que podem nos dar elementos válidos para avaliar a  necessidade de rever o plano de manutenção.

Quanto mais possibilidades de antever, mais ações efetivas minimizando a probabilidade de uma falha ocorrer teremos e consequentemente melhores resultados.

Uma das principais vantagens de implantarmos um Plano de Inspeção em nosso gerenciamento da manutenção é que, quando ele é bem estruturado e elaborado com métodos de inspeção, com foco nos itens críticos do ativo, tem um roteiro certeiro, procedimento de inspeção bem detalhado, uma periodicidade assertiva evidenciamos redução nas manutenções corretivas não planejadas.

Em relação a periodicidade para inspeção alguns utilizam a métrica : *Frequência de Inspeção FI= 0,7 x MTBF

Por exemplo se o tempo médio entre falhas (MTBF ) do ativo for 450 horas teríamos:

FI= 0,7 x 450 =  315 horas, ou seja, a cada  315 horas é importante que  esse equipamento seja inspecionado.

Outra métrica para intervalo de inspeção preditiva utilizada é a baseada no intervalo compreendido entre a falha potencial e funcional ( Intervalo P-F) encontramos essa explicação no livro O RCM na quarta Geração da Manutenção. A moderna Gestão de Ativos.

Também podemos calcular FI= MTBF x Indisponibilidade do ativo físico , métrica aplicada e difundida pelo Braidotti , escritor dos Livros a Falha não é uma opção, Entendendo a Gestão de Ativos ( ISO 55001) na Pratica e a Governança da Manutenção.

*Obviamente de acordo com a criticidade em alguns casos a frequência deve ser ajustada e o manual do ativo pode estabelecer parâmetros diferentes também, quando não se tem manual deve-se levar em conta o comportamento do ativo, o histórico e até mesmo feeling dos melhores colaboradores que operam e conhecem o ativo.

Fonte da imagem: Portal da Inspeção

Ao implementarmos um plano de Inspeção é importante :

1)Parametrizarmos e padronizarmos  as ações e metodologias

Quando existe uma padronização do que fazer e como fazer conseguiremos uma inspeção objetiva com foco nos itens que nos levem a identificar anomalias. Podemos de acordo com o manual inclusive estabelecer quais são os itens mais críticos que exigem mais atenção.

2) Relatório de Inspeção

Termos um documento formal para registrar todas as informações (data, hora da inspeção, quem realizou, qual ativo, quais itens foram observados, se foi feita alguma intervenção em sintoma de falha ou se será aberta uma OS para essa tratativa por exemplo) é o mesmo que gerar um histórico que mais tarde podem até mesmo auxiliar a tomada de decisão.

3) Treinar a equipe

Explicar como deve ser realizada essa inspeção e quais recursos utilizar maximizam o poder de seguir o padrão.

Um procedimento de inspeção estabelecido e ainda, com o registro das devidas informações, demonstram a importância da realização dessa inspeção.

 

Não tenha dúvidas que um processo de inspeção bem estruturado e focado em analisar os sintomas de falhas trará pra ti resultados melhores nos ativos no que diz respeito a disponibilidade. e norteará as estratégias de manutenção e consequentemente facilitará sua gestão da manutenção.

 

Sucesso em sua gestão da Manutenção!

Arlete Tigre

Author Arlete Tigre

More posts by Arlete Tigre

Leave a Reply

Translate »